segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

POESIA - Quando desejo

Quando desejo
Desejo o sentimento, não as palavras
Desejo a atitude, não a falsa promessa
Desejo o gesto, não o presente
Desejo o carinho, não a frase bonita

Desejo as batidas do coração, não a pulsação.
Desejo as borboletas no estômago, não o enjôo.
Desejo algo puro e simples, nada banhado de prata e ouro.
Desejo algo que será o meu tesouro.


quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

POESIA - O mundo vai acabar

O mundo vai acabar?
O mundo acaba todo dia.
para quem não sonha,
para quem não tem fé,
para quem desiste,
para quem se acha no fundo, um zé mané.

O mundo vai acabar?
O mundo já acabou.
Veja a falta de compaixão,
veja a falta de dor,
veja a falta de carinho,
de afeto, de amor.

O mundo vai acabar?
O mundo acaba todo dia.
Matam as matas,
as lagoas, lagos e rios,
filhos que batem nos pais, 
pais que batem nos filhos,
uns com muito, outros com pouco.

O mundo vai acabar?
É, vai sim
mas ele morre a cada dia
que você passa olhando para o seu umbigo
e não vendo o que passa ao seu lado,
ao seu redor.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

POESIA - Pois é

Pois é
o dia amanhece, mas não é como você quer
o trabalho existe, mas não recebe o que quer
comprou seu carro, mas não tem tudo o que quer
e você está com a sensação de ter sido enganado, de ser um mané

Pois é
a noite caiu, o frio bateu
está escuro lá fora, um breu
e isso faz lembrar que sozinho está

Pois é
no meio da solidão,caem lágrimas
algumas em vão, escorrem pelo chão
chorando e clamando, pedindo perdão
busca compreender o porque da dor, aparentemente sem razão.

Pois é
mesmo que o tempo esteja nublado
mesmo que a vista não veja além
mesmo que todos te desanimem
mesmo que muitos te recriminem

Pois é
porque tudo o que precisamos nesse momento
é um pouco de oração e fé.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

POESIA - Primeiro Passo


Não existe um tempo, não existe uma data, não existe um porque. 

Um belo dia você acorda e vê que as flores antes belas murcharam,
que o céu, que sempre se desenhou azul para ti, está cinza,
que as cores, antes vivas e vibrantes, se tornaram apenas tons pastéis e sem vida.

Você percebe que aquele sorriso que andava estampado no seu rosto
não era real e o que fazia era incomodar a sua bochecha.
Que o brilho no olhar, era lente
visto que os olhos, cansados, já não conseguem mais ver.

Acredita que o amanhã será diferente, mas se depender de ti,
não deseja ver o amanhã.

Acredita que o tempo não passa, nem voa
e por isso fica a toa, esperando tudo chegar.

E um belo dia, vê que o sonho se tornou realidade,
mas não a que antes sonhava e sim a que você foi deixando rolar.
As dores são mostradas, apresentadas, reveladas,
as marcas deixadas visíveis, tudo culpa do não se movimentar.

E aí percebe que não precisa de nada, nem ninguém
E que tudo que precisas, tem
para começar a se movimentar.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

POESIA - Abafado

Está quente, está quente
esse dia parecer ser o mais quente de todos.
Não aguento, não consigo andar
Apesar de me mexer, não saio do lugar.

Abafado, mal respiro
mas sinto a brisa quente bater em meu rosto.
e do nada vejo preto - as torres da cidade sufocando o meu ser.

Correria, dia a dia
falta tempo pra programas que eu adorava fazer.
Noites curtas, dias idem
o tempo me consome e eu sinto a falta de você.

Mas onde estás, onde te encontro
onde devo buscar, onde irei te achar
me perco, no desencontro
e é o tempo que me sufoca e me faz perder o ar.

Madrugada, na calada
não sei bem ao certo o que quero ser e ter
e perdido, iludido
me recolho a humilde insignificância do meu ser.

um em muitos, em milhões
e de dentre todas as nações
havia de ser você

infeliz, ó !! 
é um triz
triste testemunho que não pode tudo ter.

Dividir, nunca estar
ausente, nunca presente
se iludir, e mentir
a mente muda
a mente mente.

E o sonho de repente deixa de ser sonhado.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

POESIA - It's Me

Sou louco, indeciso e inconstante
E de certo, num rompante
Minha opinião vai mudar.

Mas mesmo assim tem coisas que não mudam
E é bom se acostumar a elas
Se quiser me acompanhar

Viajar, amigos e cafuné
Todos gostam, sabe como é
E isso não pode faltar.

Saída, bebida e balada
Devem ser moderadas
Para que eu possa presente estar.

Não sou de mentiras
Nem de encanação
Mas se me dizes não
Tenha certeza que sozinho irei.

Vivo na minha indecisão
E mesmo quando entra a razão
Só sei que nada sei.

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

POESIA - Ao Deitar

Só queria deitar,
e saber que é a sua mão que vai me acordar,
a sua voz que irá falar no meu ouvido,
o seu corpo que irá se juntar ao meu,
enquanto o sol raia.

Só queria deitar,
e saber que vai estar ali do lado,
não só porque eu quero,
mas porque sabes que preciso de ti tanto quanto precisas de mim.

Só queria deitar,
fechar os olhos e ver,
que aos poucos os sonhos que sonhei com você,
estou conseguindo realizar, fazer acontecer.

Só quero deitar,
e ver que o tempo passou,
e ver que nada mudou,
e ver que o amor continuou,
permaneceu, durou,
e nunca acabou,
nem acabará.

sábado, 20 de outubro de 2012

POESIA - Sem limites

Juro que não queria,
já me contentava com o seu bom dia
era o que me dava o meu sorriso, 
minha alegria
e tornava melhor o meu viver.

Mas é sentimento,
que não é claro como documento,
nem transparente como o vento,
e por ser sentimento
é que vem de dentro.

Como limitar o que sentir
como limitar o que cresce em mim
como dizer não
ah! coração.

o que dizer agora
"senta e chora"

bom, confesso não saber o que fazer
com tudo o que tenho guardado aqui para você
e nem me preocupo com o que vou sofrer
só queria uma chance de te fazer feliz.

Juro que se eu errar,
não vou pedir repeteco e nem bis,
mas vou ter sido bem feliz.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

POESIA - Dançar alegremente

Queria voltar
voltar a dançar alegremente 
um ritmo novo, envolvente
uma dança assim, meio caliente
mas dessa vez fazer tudo diferente.

Apreender devagarinho, 

bem mansinho, com todo o jeitinho,
mão por mão, passo por passo
para não atravessar
e nem sair fora do compasso
pois o ritmo marcado
sempre abre espaço
para a improvisação.

o bailado, gingado

suingado, dançado,
na chuva, na caatinga
ou no serrado,
só abre asas a imaginação

e para isso eu preciso dizer

que não dá para dançar com qualquer uma
só com você
que me fez deslizar pela pista até o amanhecer
mesmo sem nenhum passo eu saber
só com você
só com você
consigo dançar alegremente.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

POESIA - Busca

Fui atras de sonhos,
Ilusões com as quais
a minha vida
achei que fosse alegrar.

Fui atras de quereres,
simplesmente prazeres
para poder me saciar.

Fui atras do seu beijo,
almejo,
desejo louco,
que queria provar.

Mas vi que não adianta
Que a busca quando não é santa
Pode do teu caminho te desviar.

E quando sai da rota,
a busca é morta
E a minha vida não comporta
a ausência de Deus.

domingo, 12 de agosto de 2012

POESIA - Não perca o foco



Não perca o foco,
reme contra a maré.
Não perca o foco,
mantenha-se de pé.
Não perca o foco,
há algo maior aqui.
Não perca o foco,
eu preciso de ti.
Não perca o foco,
mantenha fixo o seu olhar.
Não perca o foco,
silencie e ouviras minha voz te chamar.
Não perca o foco,
meu caminho te conduz.
Não perca o foco,
seja a lua e deixe eu ser sua luz.
Não perca o foco,
e deixe a sua face,
resplandecer
a face de Jesus.

POESIA - Bom Dia

Será que hoje verei um sol ?
será que um dia eu terei a sua alegria ?
Será que posso ser seu Sol ?
Será que posso te dar bom dia, todos os dias ?
A vida é linda e segue,
mas o sorriso é pleno com você.
A vida é linda e segue,
mas o dia é mais, quando ouço sua voz,
pois penso em mim,
pois penso em nós.


terça-feira, 17 de julho de 2012

POESIA - Seletividade

Meu coração é seletivo
e não suporta mais que um amor,
mesmo que ele me cause dor,
é dele que preciso para a inspiração.


Meu coração é seletivo
e por mais que ame muitos
é a uma que ama
de tal modo e jeito
que sem jeito fico ao vê-la por aí.


Meu coração é seletivo
vive de amor e não de paixões,
não é movido a verões
mas também não escuta a razão.


Meu coração é seletivo
e selecionou você,
para todo o meu viver
e para todo o dia eu te ver.

quinta-feira, 12 de julho de 2012

POESIA - Nova História

Apagar as linhas,
reescrever a história,
ficam na memória,
os bons momentos de tempos atrás.
Nada é proibido,
tudo é permitido,
inclusive o choro,
pela falta que faz.
E contrariado,
porém resignado,
começo novas linhas
já que a antiga história,
não existe mais.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

POESIA - Faz mais

Me faz rir
ir além e sonhar
me faz mais.

Me faz ir
onde ninguém vai
me faz mais.

Me faz seguir
sem olhar para trás
me faz mais.

Me faz alegre
de um jeito que ninguém faz
me faz mais.

Me faz bem
tanto que eu esqueço os poréns 
me faz mais.

Me faz querer
a vida toda com você
me faz mais.

Me leva além
com toda a calma que tem
me faz mais.

Me faz estar
onde nenhum outro quer estar
pelo simples fato de te amar.

Me mantenha aqui
ao seu lado
para qualquer momento
para qualquer status
porque com você
eu não sou qualquer um
eu sou mais.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

POESIA - Triste fim

Era um banco de praça
e lá estava ele sentado.
Quieto, calado,
mãos no rosto, esfregava os olhos,
parecida desolado.


Era um banco de praça
e eu o olhava de longe
aos seus pés tinha uma bolsa
de alças compridas e grande


E a distancia que antes existia,
quando me dei conta acabou
estava me sentando ao seu lado
e perguntando o que ocorreu.


E foi então que copiosamente
ele chorou
mas eu não via machucado,
nem dor,
então não via motivos


Mas sei respeitar o choro dos outros
e fiz mensao de levantar
foi quando ele segurou em meus braços
e começou a me explicar.


Ele disse:


Hoje em dia não existe amor
existem paixões, ficadas, sexo,
mas não existe amor.


Quando eu comecei,
tudo era diferente,
existia amor em tudo
e a sociedade era mais "envolvente"


Hoje, não existe amor
não existe amar
e se temos sentimentos
não sabemos expressar


E por isso choro
e por isso lamento
estou ficando sem trabalho
e com isso me atormento.


Por fim compreendi
Ele era um carteiro lamento
pois sem amor
as pessoas não escreviam cartas
e sem elas ele não tinha trabalho.

segunda-feira, 11 de junho de 2012

POESIA - Cobrindo o passado.

Tentando cobrir de boas recordações a minha vida,
para que tudo aquilo que me faz mal fique soterrado.
Tentando pintar tudo aquilo que me alegra e faz feliz,
para que tudo aquilo que me faz mal fique desbotado.
Tomando banho de chuva, na rua,
para que a mesma me lave e leve tudo pelo ralo.
Tomando remédios ? 
Não, meu remédio é o sorriso que brota no meu rosto,
a alegria de estar vivo e ver e presenciar.

POESIA - Breve

Como te elogiar sem te envergonhar ?
Como te desejar sem te falar ?
Como fazer tudo isso de longe, 
se não poderei demonstrar o querer só com o olhar ?
Espero que você, ao ler, possa entender
o desejo que arde aqui dentro, de te amar.

segunda-feira, 4 de junho de 2012

POESIA - Havia

Havia um dia ...
Havia um caminho ...
Havia um lugar ...


Havia uma pessoa ...
Havia um coração ...
Louco para se apaixonar.


Havia um texto ...
Havia pretexto ...
Havia um querer, um gostar.


Havia noite ...
Havia dia ...
Havia distância,
e momentos para nos aproximar.


Havia ...


Ha via ...


E nessa via, ei de trilhar um novo caminho


Porque o que Havia, não mais há.

sexta-feira, 1 de junho de 2012

POESIA - Ele ama

Ele ama,
ele clama por amor,
ele chama
quer sentir o ardor
da paixão,
do beijo, desejo de viver,
do amor
que nos leva a loucuras cometer
do choro
e da lágrima derramada
depois de cada alegria,
com a pessoa amada.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

POESIA - Ao perceber

Pude perceber
Que nao sou nada pra você
Pouco importa minha mudança
O que te importa é o que vê. 


Pude agora notar
Que não vai adiantar
Indo, vindo, seguindo, partindo
Nada disso vai mudar


Pude agora concluir
Que nao fui nada pra ti
E se algum dia isso achei
Hoje me desencantei


Posso agora prosseguir
E nao preciso olhar pra trás
Pois ao me ignorar demais
Matou a falta que você faz

terça-feira, 29 de maio de 2012

POESIA - Cheguei ao fundo

Eu já cheguei ao fim.
E o fim é o fundo do poço


Eu já cheguei ao fim,
e não tenho mais forças para voltar
não consigo mais me levantar
e confesso que toda vez que tento
acabo por escorregar.


Eu já cheguei ao fim,
mas qual seria o fim ?
Quem decreta o fim ?

Que fim tem o fim ?


Assim, sigo buscando o início,
o novo, o surpreendente,
porque afinal,
já sei como é o fim.

sexta-feira, 25 de maio de 2012

POESIA - Escute aí

Tá pronta para ouvir ?
Tá sentada ?
Venha me escutar.



Me desculpe, mas hoje é o dia
que eu preciso de ti
para poder falar.


Estou necessitado de colo,
carinho e compreensão.
As coisas não caminham como eu gostaria,
mas muito obrigado pela sua atenção.


Tens sido de suma importância,
pois sei que com você posso contar,
seja para beber, falar duzias de palavrão,
seja apenas para poder chorar.


E amigos são assim,
amigos são para essas coisas,
chorar com o choro, sorrir o sorriso,
partilhar a angustia, e adiantar o amigo.


Não querem saber porque
mas pulam dentro da roda,
e se algo a um amigo do peito incomoda
incomoda a você também.


Ah ...
Era o que eu precisava hoje,

de um colo amigo,
para ouvir um desabafo, 
chorar um pouco
e dar uma gás,
fazer ver que a vida é vivida 
se mirando o que tem para a frente
e não se lamentando o que ficou para traz.


quinta-feira, 17 de maio de 2012

POESIA - Primeira a cair

Eu queria chorar,
mas está difícil,
nem para isso,
tenho disposição.


A lágrima não cai,
não deseja percorrer meu rosto,
e escondido no desgosto,
ela cisma em ficar.


O choro que devia libertar,
fica preso
e prende a tudo e todos,
inclusive a mim
dentro de mim mesmo.


O riso que viria depois,
com alguém fazendo palhaçadas,
está na sola do pé
correndo de mim.


Queria apenas que a primeira viesse a cair,
porque sei que depois da primeira outras virão,
me farão respirar, suspirar, parar, pausar e
ousar.


Mas ela ainda fica presa, 
nos olhos e na garganta,
e a dor, imensa, tamanha,
faz que não consiga perceber
o quanto já caminhei
sem a primeira derramar.


Porém de hoje não passa,
porque é chegada a hora
as lágrimas descem,
ao passo que penso,
e vejo o quanto ainda é necessário seguir.

terça-feira, 15 de maio de 2012

POESIA - Vai querer

Vai querer ?

Vai querer acordar e ver que estou te olhando
O café quente na mesa
Filhos na sala
esperando
e o mundo inteiro para conhecer

Vai querer ?

Acordar e ser surpreendida,
com a mesa posta, o jantar feito,
o cheiro gosto, a pegada de jeito,
e a noite findando com aquele amor.

Vai querer ?

Que naquele dia de chuva,
todos os programas sejam cancelados,
e os que não podem, sejam remarcados,
para ficarmos vendo filme lado a lado.

Vai querer ?

Ter uma história, guardar na memória
momentos bons e ruins,
que acabaram em sorriso,
e lembranças de amor.

As vezes acho que sim,
porém algo me diz que você
infelizmente
não vai querer.

sexta-feira, 11 de maio de 2012

POESIA - Caminhar

Caminhar
Nada mais é do que seguir,
as vezes se sabe para onde vai,
e as vezes não se imagina onde quer chegar.


Caminhar
seja a passos largos ou curtos,
dados para a frente, para o lado ou para trás,
é o que nos faz mais.


Caminhar
na confiança e com dedicação
as vezes torto, as vezes com exatidão
sempre buscando a retidão.


Caminhar
para seguir em frente
é preciso caminhar
e confiar que dias melhores virão.

domingo, 29 de abril de 2012

POESIA - Seja Sincera

Seja sincera com você
E diz que não pensa em mim
que não sente falta, saudade
que realmente houve fim.


Seja sincera com você
esqueça um pouco a razão, o orgulho
fala da falta que fazem as minhas mensagens
que na madrugada alegravam seu coração.


Seja sincera com você
as piadas eram ruins
a minha presença não lhe preenchia
ou é porque comigo você tinha alegria
e teve por isso, medo de prosseguir ?


Seja sincera com você
porque esconde o sentimento
ou procura em outros lugares
o que quero te dar
que está guardado aqui dentro


Preferiu o silêncio ?
Deseja realmente a dor ?
seja sincera com você


O que realmente busca é amor ?
Mais sincero, impossível
Mais verdadeiro, improvável.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

POESIA - Minha Alegria

Alguém a viu por aí ?
Ela estava embrulhada
em um sorriso
dado diariamente
ao ver o sol, o céu
ou simplesmente sentir a brisa
a soprar.


Ela habitava em um rosto contente
Que acreditava ter achado
novamente seu rumo
E de tão radiante
Contagiava aos demais.


Porém veio um vendaval
tudo ficou para trás
no girar do redemoinho
ela soltou minha mão
e seguiu por aí


E o que irradiava - hoje é radiação
O que antes contagiava - hoje é contaminação
Se antes havia alegria e riso - hoje é solidão
Se antes era paz e calma - vejo que era ilusão.


E continuo ...
Procurando a minha alegria por aí ...

sexta-feira, 13 de abril de 2012

POESIA - Escritos escrivinhados

Era um livro
escrito desde a infância
com palavras e poesia,
sonhos e fantasia.

Livro escrito a lápis
preto e colorido,
e com os vividos
outras tintas ao livro foram pintar.

Tinham muitas páginas
todas elas preenchidas
algumas nem muito bem escritas
mas era a vida a se desenhar.

Porém em momentos da vida,
eu esquecia de escrever.
O livro, fazia questão de perder
para momentos difíceis não registrar.

E a vida tem machucados
momentos muito amados
momentos mal amados
e momentos a se apaixonar.

Ao pegar novamente o livro
e abrir para escrever
qual foi minha surpresa ao ver
que ele começou a se apagar.

As cores voltaram ao lápis
os textos voltaram a mente
porém a vida
hoje novamente segue
mas por um caminho e com um fluxo um pouco mais diferente.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

POESIA - Céu Nublado

Estou precisando deixar de ver
o céu nublado
precisando ver o céu estrelado
assistir a dança das estrelas
e o sorriso da lua.

Ver o sol nascer
e o primeiro raio solar
vermelhidão no céu
paixão no ar.

ver o dia virar noite
e tudo escurecer
ver a noite virar dia
e acordar
de um lindo sonho
com você.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

POESIA - Sempre Sorrir

Sempre sorrir
mesmo que me doa os lábios
mesmo que me doa os dentes
que esteja triste
devo sempre parecer contente.

Sempre sorrir
quando o corpo dói
e o sentimento
ao coração corrói

Sempre sorrir
eu pretendo levar a vida
seja na mocidade ou na velhice
mas que nenhum momento
ou alegria
seja perdida.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

POESIA - Abraço

Te falar uma verdade
Que vontade de te abraçar
e ficar agarrado
sabe ...

Aqueles intermináveis
abraço de urso.

Abraço de sentir o coração
e sua respiração
da chegada a excitação
e no olhar a paixão.

Abraço de urso
onde te guardo em mim
e assim
zelo e proteção

É abraço de amizade
é abraço de paixão
abraço de saudade
abraço dado com o coração

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

POESIA - Assim me sinto

É você chegar
meu sorriso se abre
meu corpo se alegra
meu rosto se rubra
meu peito congela
As palavras não saem
Apenas poesia
e meus olhos parados
a você admira.

É você sair
meu rosto se fecha
a tristeza aparece
o meu corpo sente
sua falta e pede
atenção e carinho
afeto e amor
Pois quando você se vai
Ele se preenche de dor.

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

POESIA - Idas e Vindas

E assim me sinto vivo
É a chuva no rosto
A cerveja gelada
Futebol com a rapaziada

E assim me sinto vivo
O grito de gol
O mergulho no mar
Sair para dançar
Me enamorar

E assim me sinto vivo
É a dor do amor
O beijo quente
Saudade latente
Desejo no ar

E assim me sinto vivo
Com idas e vindas
Meu coração ainda palpita
Minha mente precipita
O que não quero acreditar

domingo, 29 de janeiro de 2012

POESIA - Há de vir

Um dia a semente
há de cair
em um bom lugar
florescer, germinar

Um dia a palavra
há de habitar
em um coração
que saiba amar

Um dia a chuva
há de molhar
a terra quente
que precisa se resfriar

Um dia o beijo
há de acender
a chama
entre mim e você.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

POESIA - Como o clima

Olhe pela janela
Veja o tempo lá fora
Viu ?
É assim que está meu coração

Olhe o que cai do céu
É água ?
Lágrimas
Geradas pela dor e desilusão

O cinza ?
Solidão e dureza
As mentiras que me contava
Ofuscava o brilho do sol

Porém,
De tudo tenho uma certeza
a água lava
as nuvens passam
e meu céu voltará a brilhar

Cuide bem de ti
que cuidarei bem do meu jardim.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

POESIA - Gostar

E porque gostamos ?
é simplesmente porque nos entregamos
abrimos o nosso coração
não chorando o ontem
não imaginando o amanhã
apenas vivendo o hoje
a alegria, o sorriso
verdadeiros sentimentos que brotam do coração

Porque gostamos ?
porque nos abrimos
de mente, corpo e alma
para viver a alegria
que irradia do outro e nos contagia

Porque gostamos ?
talvez porque aprendemos que não dá para viver
sem gostar, sem curtir, sem dividir e sem amar.

Ah !! E como gostamos
É por muitas vezes um gostar anormal, sobrenatural
transborda do peito
nos transforma inteiro
e nos faz viajar, flutuar e
desejar que,
simplesmente no amanhã
ao acordar
essa pessoa novamente
esteja ao seu lado
para te amar.

sábado, 21 de janeiro de 2012

POESIA - Liberdade

E ao me libertar
vou voar
gritar alto palavras soltas
para impactar, impressionar

E ao me libertar
vou sair por ai
caminhar pelas ruas avenidas
praças, vielas perdidas
procurando nada nem ninguém
olhar perdido ao que convém

E ao me libertar
quero correr
sentir vento
na noite ao relento
deitar e descansar.

E ao me libertar
não existem barreiras
ou ao menos fronteiras
que me impedirão de viajar
de chegar e partir

E ao me libertar
não existo mais em mim
porque o meu próprio limite
inexiste
para quem agora sou.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

POESIA - Me sequestra

Me sequestra,
me leva por aí,
tou cansado de chorar
preciso um pouco sorrir

Me sequestra,
me leva para esquecer
todo esse sofrimento
que só faz doer.

Me sequestra,
me leva pra lembrar
que tem muitas coisas boas
que eu preciso aproveitar.

Me sequestra,
e me mostra um mundo novo,
eu preciso
do seu abraço
do seu beijo
do seu sorriso
do seu amor.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

POESIA - Ela, Ela

Cada dia mais linda
Cada dia mais bela
É ela, É ela

Não desfila a moda
Nem anda na passarela
mas é minha amiga
É ela, É ela

Gentil e delicada
por todos amada
É ela, É ela

As vezes nervosa
mas sempre donzela
sempre alegre e sorrindo
É ela, é ela

Não troco por nada
nem por ninguém
o que tenho e sinto por
Ela, ela

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

POESIA - Sua Boca

A quanto tempo olho
fixo, fissurado

A quanto tempo admiro
extasiado

Quero saber o sabor
o gosto adocicado

Quero sentir o calor
os lábios entrecolados

A quanto tempo quero,
desejo um beijo ardente

A noite, ao luar
aquele beijo bem quente

Calor que emana,
sai de dentro da gente.

Sentir o gosto,
lamber o beiço

Sabor gostoso
é que desejo

Hoje e sempre
Te Beijar...

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

POESIA - Com dor

Hoje eu acordei com dor
Mas não chorei, nem gritei ...

Hoje eu acordei com dor
Mas não era dor física,
era dor de amor.

Apesar de ser pelo corpo,
tinham locais específicos para doer
uns latejavam outros ardiam
mas não havia muito o que fazer.

Hoje eu acordei com dor,
e rezei - para a dor passar
para não sofrer.

Sabia que mais cedo ou
mais tarde
isso ia acontecer,
mas achava que não tinha
muito o que fazer.

Hoje eu acordei com dor
Mas o culpado era eu
e não você.