quarta-feira, 30 de abril de 2014

POESIA - Gelou

A certeza do incerto fez parar o coração,
fez gelar toda a alma,
trouxe novamente a solidão.

O que antes era certo,
pelo incerto foi desfeito,
e de certo tornaram
o que era gesto em defeito. 

As palavras reverberam,
e vão até a cabeça,
não sei se para ajudar,
ou para não deixar que eu me esqueça.

segunda-feira, 28 de abril de 2014

POESIA - (escolha o nome)

Era tudo ilusão, 
O riso,
O choro,
O amor,
As conversas

Era tudo ilusão,
As declarações
O sim,
As frases e
Momentos felizes. 

Era tudo ilusão,
Me enganava
Se enganava
Nos enganava

Era tudo ilusão,
E um dia a ficha caiu,
Pena que tarde demais,
Pois já tinha vivido bastante,
Não dava para voltar atrás,
Mas serviu para ir adiante,
Olhando sempre o horizonte,
Planejando sempre ao longe,
Buscando a feliz sorte. 

POESIA - Deixo aberto

Deixo - me aberto ... 
Abro - me a ti ...


Deixo aberto ...

o coração para que habite, 
os olhos para que eu te veja, 
os ouvidos para que eu te ouça,
os braços para que eu te abrace,

Deixo aberto ...
a boca para que te beije, 
a porta para que chegues,
o peito para que repouses,
as idéias para que me mudes,

Deixo aberto ...
o colo para que se aconchegue,
a mente para os ocorridos,
e a poesia, para que completes, 
e o meu ser, para que sejas o que quiser ser ...