Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2012

POESIA - Ao Deitar

Só queria deitar,
e saber que é a sua mão que vai me acordar,
a sua voz que irá falar no meu ouvido,
o seu corpo que irá se juntar ao meu,
enquanto o sol raia.

Só queria deitar,
e saber que vai estar ali do lado,
não só porque eu quero,
mas porque sabes que preciso de ti tanto quanto precisas de mim.

Só queria deitar,
fechar os olhos e ver,
que aos poucos os sonhos que sonhei com você,
estou conseguindo realizar, fazer acontecer.

Só quero deitar,
e ver que o tempo passou,
e ver que nada mudou,
e ver que o amor continuou,
permaneceu, durou,
e nunca acabou,
nem acabará.

POESIA - Sem limites

Juro que não queria,
já me contentava com o seu bom dia
era o que me dava o meu sorriso, 
minha alegria
e tornava melhor o meu viver.

Mas é sentimento,
que não é claro como documento,
nem transparente como o vento,
e por ser sentimento
é que vem de dentro.

Como limitar o que sentir
como limitar o que cresce em mim
como dizer não
ah! coração.

o que dizer agora
"senta e chora"

bom, confesso não saber o que fazer
com tudo o que tenho guardado aqui para você
e nem me preocupo com o que vou sofrer
só queria uma chance de te fazer feliz.

Juro que se eu errar,
não vou pedir repeteco e nem bis,
mas vou ter sido bem feliz.

POESIA - Dançar alegremente

Queria voltar
voltar a dançar alegremente 
um ritmo novo, envolvente
uma dança assim, meio caliente
mas dessa vez fazer tudo diferente.

Apreender devagarinho, 
bem mansinho, com todo o jeitinho,
mão por mão, passo por passo
para não atravessar
e nem sair fora do compasso
pois o ritmo marcado
sempre abre espaço
para a improvisação.

o bailado, gingado
suingado, dançado,
na chuva, na caatinga
ou no serrado,
só abre asas a imaginação

e para isso eu preciso dizer
que não dá para dançar com qualquer uma
só com você
que me fez deslizar pela pista até o amanhecer
mesmo sem nenhum passo eu saber
só com você
só com você
consigo dançar alegremente.