quarta-feira, 30 de maio de 2012

POESIA - Ao perceber

Pude perceber
Que nao sou nada pra você
Pouco importa minha mudança
O que te importa é o que vê. 


Pude agora notar
Que não vai adiantar
Indo, vindo, seguindo, partindo
Nada disso vai mudar


Pude agora concluir
Que nao fui nada pra ti
E se algum dia isso achei
Hoje me desencantei


Posso agora prosseguir
E nao preciso olhar pra trás
Pois ao me ignorar demais
Matou a falta que você faz

terça-feira, 29 de maio de 2012

POESIA - Cheguei ao fundo

Eu já cheguei ao fim.
E o fim é o fundo do poço


Eu já cheguei ao fim,
e não tenho mais forças para voltar
não consigo mais me levantar
e confesso que toda vez que tento
acabo por escorregar.


Eu já cheguei ao fim,
mas qual seria o fim ?
Quem decreta o fim ?

Que fim tem o fim ?


Assim, sigo buscando o início,
o novo, o surpreendente,
porque afinal,
já sei como é o fim.

sexta-feira, 25 de maio de 2012

POESIA - Escute aí

Tá pronta para ouvir ?
Tá sentada ?
Venha me escutar.



Me desculpe, mas hoje é o dia
que eu preciso de ti
para poder falar.


Estou necessitado de colo,
carinho e compreensão.
As coisas não caminham como eu gostaria,
mas muito obrigado pela sua atenção.


Tens sido de suma importância,
pois sei que com você posso contar,
seja para beber, falar duzias de palavrão,
seja apenas para poder chorar.


E amigos são assim,
amigos são para essas coisas,
chorar com o choro, sorrir o sorriso,
partilhar a angustia, e adiantar o amigo.


Não querem saber porque
mas pulam dentro da roda,
e se algo a um amigo do peito incomoda
incomoda a você também.


Ah ...
Era o que eu precisava hoje,

de um colo amigo,
para ouvir um desabafo, 
chorar um pouco
e dar uma gás,
fazer ver que a vida é vivida 
se mirando o que tem para a frente
e não se lamentando o que ficou para traz.


quinta-feira, 17 de maio de 2012

POESIA - Primeira a cair

Eu queria chorar,
mas está difícil,
nem para isso,
tenho disposição.


A lágrima não cai,
não deseja percorrer meu rosto,
e escondido no desgosto,
ela cisma em ficar.


O choro que devia libertar,
fica preso
e prende a tudo e todos,
inclusive a mim
dentro de mim mesmo.


O riso que viria depois,
com alguém fazendo palhaçadas,
está na sola do pé
correndo de mim.


Queria apenas que a primeira viesse a cair,
porque sei que depois da primeira outras virão,
me farão respirar, suspirar, parar, pausar e
ousar.


Mas ela ainda fica presa, 
nos olhos e na garganta,
e a dor, imensa, tamanha,
faz que não consiga perceber
o quanto já caminhei
sem a primeira derramar.


Porém de hoje não passa,
porque é chegada a hora
as lágrimas descem,
ao passo que penso,
e vejo o quanto ainda é necessário seguir.

terça-feira, 15 de maio de 2012

POESIA - Vai querer

Vai querer ?

Vai querer acordar e ver que estou te olhando
O café quente na mesa
Filhos na sala
esperando
e o mundo inteiro para conhecer

Vai querer ?

Acordar e ser surpreendida,
com a mesa posta, o jantar feito,
o cheiro gosto, a pegada de jeito,
e a noite findando com aquele amor.

Vai querer ?

Que naquele dia de chuva,
todos os programas sejam cancelados,
e os que não podem, sejam remarcados,
para ficarmos vendo filme lado a lado.

Vai querer ?

Ter uma história, guardar na memória
momentos bons e ruins,
que acabaram em sorriso,
e lembranças de amor.

As vezes acho que sim,
porém algo me diz que você
infelizmente
não vai querer.

sexta-feira, 11 de maio de 2012

POESIA - Caminhar

Caminhar
Nada mais é do que seguir,
as vezes se sabe para onde vai,
e as vezes não se imagina onde quer chegar.


Caminhar
seja a passos largos ou curtos,
dados para a frente, para o lado ou para trás,
é o que nos faz mais.


Caminhar
na confiança e com dedicação
as vezes torto, as vezes com exatidão
sempre buscando a retidão.


Caminhar
para seguir em frente
é preciso caminhar
e confiar que dias melhores virão.