domingo, 16 de novembro de 2008

Armagedon ...

Será que por obséquio alguém lembra do filme Armagedon ?! Aquele em que os caras montam uma equipe para destruir um meteoro, ou seria um asteróide (sei lá).
Não ?! Ninguém lembra ?! Pois bem ...

Estava eu um dia, numa aula, quando lembrei desse filme. E começei a repensar toda a história dele.
Era uma dificuldade, um problema que se desenhava esse meteoro, ou asteróide (que eu realmente não sei a diferença) e ninguém sabia como resolver; só sabia que se ele chegasse ao seu destino seria um problema, simplesmente porque ia destruir a Terra.
Então o personagem do Bruce Willis é chamado para salvar a Terra, monta uma equipe, passa por treinamento, recebe equipamento e vai para salvar a Terra. A questão é que eles nem sabem o que vão encontrar por lá - já que os estudos nunca são iguais a realidade.

Para quem já viu o filme, já deve estar lembrando da história. Para quem não viu, não vou contar mais porque é interessante vê-lo. Entretanto, o texto não acaba aqui ...

Depois de fazer meu cérebro trabalhar, fiquei pensando nas últimas notícias que saiam no jornal. Sobre o Pré-Sal claro. E pensei: Pronto, está aí um novo Armagedon.

Se pensarmos no Pré-Sal e no filme, é tudo igual. Começa por ser uma descoberta que ninguém sabe precisar, depois vemos que tanto no filme, quanto o Lula; monta uma equipe, para tentar desvendar e estudar afim de poder resolver e solucionar esse problema. Aí, enquanto o Lula manda a galera desvendar o Pré-Sal, o governo mandou o Bruce Willis destruir o meteoro ou asteroide (essa eu não vou saber matar). Nesse ponto o filme ganha, já que não temos nenhum herói nacional (o último agora é Presidente e virou uma incógnita)

Então os equipamentos são enviados para se chegar ao centro do problema (sim, problema). Porque no caso do Pré-Sal, se fossemos nós a extrair, a utilizar e a lucrar com isso, seria bom; mas acho que vai ser difícil disso acontecer. Já com o meteoro ou asteróide, todo o povo lucra, já que a civilização não será exterminada .....

Aí, minha cabeça já tinha pirado, porque eu pensei: Bom, o Pré-Sal é algo que não conhecemos, que não entendemos, que a pouco descobrimos e que pode nos causar muito problema. Para mim, é um novo meteoro, um novo asteróide; só que em nosso subsolo.
Nada pior do que um novo Armagedon ....

domingo, 28 de setembro de 2008

Dominante e Recessivo

Essa semana eu fui colocar um celular no concerto. No momento em que estava sendo atendido, ao meu lado parou uma senhora com um neném que tinham olhos azuis e as atendentes estavam conversando sobre como seriam os filhos caso elas os tivessem com os atuais namorados. Começaram a pensar se teriam olhos verdes como os da atendente e/ou azuis como os de seu namorado. E eu ali, esperando ser atendido e querendo resolver o problema do meu celular.

Mas foi apartir dessa conversa que lembrei de quando estava no segundo grau (acho que foi no segundo grau), e aprendi sobre dominante e recessivo. No grau que estava a conversa, achei melhor não me meter, mas me deu uma vontade louca de explica-las que era impossível determinar isso agora porque tinhamos genes dominantes, recessivos e suas combinações davam as mais variadas formas.

Fui atendido, mas fiquei com isso na minha cabeça e fui para a aula. Sim, aula. E ao chegar foi fomentado por um texto que dizia que o neoliberalismo surgiu após, não só o acontecimento de várias crises, como o final do socialismo. E me perguntei - será que realmente o socialismo acabou ?! Será que chegamos ao final desse sistema ?! Que o socialismo foi somente um desvio na conjuntura política mundial ?!

Eu acho que não, e aí me veio na cabeça a questão do dominante e recessivo. É claro que o sistema socialista não se tornou dominante, mesmo que em alguns estados ele teve seu período de implementação, não chegou a ser uma unanimidade mundial. Entretanto, mesmo tendo sido recessivo, ele teve diversas coisas incorporadas aos sistemas dominantes que vivemos hoje em dia.

Se não tivesse existido um período socialista, com diversos países tentanto a sua implementação; hoje, mesmo nos sistemas atuais, não teriamos essa diversidade nos sistemas capitalistas, onde o povo ainda tem muito a conquistar, mas que muito já nos foi dado pelo medo dos próprios capitalistas de que o socialismo se tornasse hegemonico.

E foi onde eu pude perceber como é bom ser recessivo. Como é bom ser pequenininho, aquele que muitas das vezes não tem espaço, não tem vez, não tem oportunidade; porque num breve e determinado momento, se não tomarem cuidado, ele pode vir a tona. No caso dos genes, nunca um recessivo se tornaria dominante, mas no caso da política ....

P.S. - Inspiração no jeito CAMILINHA de escrever. Obrigado pela sua colaboração semanal.

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Nossa vida ...

Minha cabeça tem pensado em muitas coisas e me frustro muitas das vezes por não conseguir realizar nenhuma delas. Sempre precisamos de algo, ou de alguém que infelizmente naquele momento está em outra VIBE, ocupado também com os seus projetos e sua vida.

A minha vida, vejo que está sendo construida nas diversas experiências que tive e que vou tendo ao longo dela. Não me furto a participar das coisas e nem de viver as coisas, mas já o fiz.

Hoje, estou tendo a possibilidade de me dar a chance de ser mais flexível, de ouvir outros e de participar de coisas e ter vivencias que antes eu não teria. Isso só está sendo possível graças a um grupo de amigos e pessoas (em especial UMA) que está me possibilitando e proporcionando novas e diferentes experiências de vida.

Falo isso para perguntar a você que está lendo esse texto - e agradeço por isso - o que você está fazendo para ouvir o outro ?! Será que você dá possibilidades a tod@s ?! Ou somente aqueles que estão bem arrumados e/ou bem apresentáveis ?!

Tenho visto que muitas pessoas, talvez por conta dessa sociedade em que vivemos, esquecem que os pobres, os moradores de rua, os mendigos e tantos outros foram um dia iguais a nós. Eu não acredito que eles sejam esses títulos que eu disse antes, mas como também os políticos, eles estão nessa situação. E se estão nessa situação é porque nós (a sociedade atual) os colocamos assim, por diversas formas que esse texto não cabe discutir.

A idéia aqui é apenas refletir sobre quem consideramos como pessoas e como agimos com elas.... Será que tod@s aqueles que estão ali são invisíveis ?! Será que eles não merecem uma oportunidade ?!

É isso ... E até o próximo texto ...

domingo, 10 de agosto de 2008

Parabéns a você ...

No dia três desse mês que estamos, eu fui mais um felizardo a completar anos. 27 ....

Durante esse tempo, vivi e ainda vivo muitas coisas. Umas felizes, outras tristes, mas todas que acrescentem de alguma forma algo na minha vida. Já chorei, já sorri, já sofri, já amei (e amo), o importante é que nunca percamos a alegria de viver.

Entretanto, nesse aniversário, duas coisas me chamaram intrigaram e são elas que venho partilhar com vocês. A primeira, foi quando a minha prima quis me zuar, por eu estar ficando mais velho. Gente, só fica mais velho quem vive e só vive quem está vivo. Se eu não tivesse fazendo aniversário, algo estranho estaria acontecendo; ou eu estaria congelado, ou estaria morto. Como ainda não descobriram como congelar e descongelar seres humanos, acho que eu não quero essa segunda opção para mim - até porque quero e muito viver.

A segunda foi quando me perguntaram como eu estava me sentindo por estar completando 27 anos. Eu respondi, da mesma forma de quando completei 26 ... Porque eu (e acho que muitos) criam espectativas quando estão para completar 18 anos, 21 anos - período em que se tira carteira de motorista, se torna maior de idade e outras coisas do gênero. Com 27, o peso da responsabilidade já está nas costas a algum tempo (talvez não todos, mas eu já) e com isso, não muda em nada fazer mais um ano de vida.

O que muda é o físico. Aí sim, quanta diferença. Porque o cabelo continua caindo (ou não nascendo mais), a falta de tempo para exercícios faz a barriga crescer, os compromissos que são muitos, o tempo para os amigos e o lazer diminuem, as piadas já são repetidas e muitas delas agora estão sem graça, e por aí vai ... Mas essas são mudanças que já esperamos e por isso, hoje, não me frustram mais.

Por isso, lembrem-se, se você está completando mais um ano de vida, na verdade é porque você já viveu esse ano, e se já viveu esse ano ele foi, de qualquer jeito, um ensinamento para você; portanto aproveite os anos que você tem para viver (e que não sabemos quantos mais são) das formas mais variadas e maravilhosas possíveis, sem se prender.

E você verá o quanto o mundo é belo.

Só Hoje ....

Gente

Venho pedir desculpas pelo período em que esse blog ficou parado. Nesse tempo, pensei o que queria quando iniciei o blog e vi que não tinha nada em mente. Hoje, continuo com nada em mente para ele, porém com uma vontade de partilhar com vocês tudo o que se passa pela minha cabeça.

Quanto a inatividade, em muito foi motivada pela falta de tempo para escrever, aliado a organização do ENECOM, ao encerramento do período na faculdade, as negociações para a mudança de estágio, ao meu "filho" (último programa meu na TV PUC - dia 31 de agosto na TV Universitária do Rio) e a outra coisas que prefiro não falar.

Volto aqui hoje para iniciar um novo tempo, um novo período de compromisso, tanto com vocês, quanto comigo. Para mim, vai ser um tempo de compromisso, de mantê-lo, de postar aqui todos os domingos quantos tiverem esse ano, quanto eu tiver vida. Com vocês e de vocês, espero ajuda, comentário, discussões e outra coisas que sejam motivados por esses textos; nada além disso.

Então, aguardo vocês aqui, no domingo que vem, para novos textos, novas discussões ... Ou as mesmas velhas de sempre ...

Beijos para
tod@s ...
Fiquem com Deus ...

terça-feira, 8 de julho de 2008

O que é Pátria ?!

Ao entrar no ônibus hoje, vindo para o meu estágio, fui tomado por um sentimento de reflexão sobre a pergunta acima.
O que é Pátria ?! Temos esse sentimento ?!

Vejo que em diversos países temos festas por motivos mais comuns. Ou não ...
Na Argentina por exemplo, nossa vizinha, por diversas vezes se organizam panelaços (manifestações populares contra o governo) e elas não tem ninguém por trás a não ser o próprio povo. Nessa última semana a Colombia tem sido alvo de manifestações de apoio a Uribe e seu bem-sucedido plano de libertação dos reféns (em especial a Ingrid). E isso tudo ocorre aqui do lado, ao nosso lado.

Mas e no Brasil ?! Vejo no Brasil um movimento unificador somente nos momentos em que estamos disputando algo lá longe (e aí vem mais uma Olimpíada para provar isso). Nesse momentos todos somos brasileiros, torcemos, abraçamos, rimos, choramos e fazemos tudo como manda o figurino. Porém no resto do ano, temos nossas mazelas, nossos sofrimentos, nossas diferenças e todos (ou uma grande parcela) diz que gostaria de morar em outros lugares que não o Brasil.

Vejo países menores, com menor tradição, mas que ao cantar o Hino, nas competições (sejam quais forem) se emocionam, choram; enquanto isso, o povo brasileiro nem sabe cantar corretamente seu próprio Hino (isso mesmo - aposto com você que em algum momento você irá errar a letra...ou até mesmo o refrão)

Por isso, hoje, me peguei dentro desse mar de escandalos que ocorrem aqui, pensando ... Como amar algo que não conheço, que não sei o que é. Por isso, como pedir a um deputado, a um prefeito, a um presidente que faça o melhor para o povo, para a nação se eles não a conhecem por inteiro ?!

E isso serve não só para eles, mas para tod@s. Porque ao acharmos que conhecemos tudo, subestimamos os outros ...

" E eu só sei que nada sei .... "

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Como as coisas podem ser o que não são ....

Motivado pelo texto lido em blog da minha filha, venho aqui para atualizar o meu.

Queria deixar claro a
tod@s que em breve retomo a minha rotina de atualização dominical, mas como estou realizando muitas coisas o ócio criativo tem andado escasso e por isso a falta de texto em meu blog.

Venho rapidamente para falar (levantar) como as coisas podem ser o que não são.... O que me motivou a escrever sobre isso foi um (diga-se de passagem excelente) comercial que vi a alguns dias ...

Vale do Rio Doce - uma publicidade institucional maravilhosamente bem feita, levaria meu dez se não fosse ..... A própria Vale. Gente, tenho levantado isso com várias pessoas por aqui, como pode uma empresa que destrói nossas riquesas naturais, para exploração tipo exportação, fazer um comercial desse e ficar com os louros ?!
É como não culpar a AraCruz Celulose pelas florestas de Eucalipto encontradas por toda a Bahia, ou os países ricos, que absurdamente tentam colocar a água como um bem particular.

E aí, vejo a força, o poder que há numa publicidade, numa simples publicidade. Eu sei que apesar de tudo, ela traz malefícios para a sociedade; mas será que todos sabem ?! Será que todos tem essa percepção ?! As notícias são realmente divulgadas ?! São para
tod@S ?!

E após os vinte e nove segundos de ecstasi, veio a explosão, o emputecimento e o chute na mesa, por ver que um trabalho tão bonito quanto esse comercial leva a assinatura de uma empresa que não merece meu respeito

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Fora da nova ordem mundial...

Faz tempo que não posto aqui. E se eu não posto, que dirá vocês virem ler textos antigos. Então venho escrever essa curta reflexão que tive hoje ao ler o jornal.





No texto havia uma citação a um trecho da música Fora da ordem (de Caetano Veloso), mas é engraçado porque o texto estava no Editorial de Esportes (para quem não sabe o que é editorial, é o mesmo que caderno, parte, páginas).





Aí, ao ler a matéria, vi que se tratava de algo interessante. O texto citava os jogadores que se nacionalizaram e, jogando por outros países, decretaram a derrota de suas pátrias mães. Jogaram no limbo a antiga pátria pelo sucesso que conseguiram na nova.





Isso me fez pensar que o sucesso é algo estranho. Faz você esquecer toda a sua origem, tudo o que passou quando criança; para, famoso e rico, ser o carrasco de sua antiga pátria.


Outra coisa que pensei foi: chegamos a um momento em nossa existência que não há mais a noção de pátria. Engolida pela globalização, está já a muito havia sido esquecida; entretanto vejo que caminhamos para um local além dessa globalização. Um local onde o antigo "quem dá mais" utilizado pelo leiloeiro é a chave.





Esse é o grande lançe. Caminhando na mesma estrada das empresas multinacionais, das grandes parcerias empreendedoras está também o esporte. E como não há relação com a terra em que vive, com o ar que respira e nada ao redor; como cuidar, como zelar por aquilo que não reconheço como meu ?!





Bom, penso que por mais triste que fique com o meu país, levarei suas cores para onde for. Seja lá onde for. Mas se nem isso houver .....





PARA O MUNDO QUE EU QUERO DESCER .....

segunda-feira, 2 de junho de 2008

Loucura, Censura e Ditadura

A que ponto chegamos ...
No último final de semana foi publicada aqui no Rio de Janeiro, pelo jornal O Dia, uma matéria que falava sobre a atuação da milícia numa comunidade. Os funcionários desse jornal alugaram uma casa na localidade e se estabeleceram na mesma, para realizarem a reportagem.

O primeiro ponto que eu queria levantar é: Seis anos após a morte de Tim Lopes, ainda não conseguimos pensar em um formato de jornalismo investigativo que dê aos profissionais da área uma segurança, uma garantia de que suas vidas não estão sendo colocadas em risco. Até que ponto vale o sacrifício de uma vida ?! Vale somente o aumento de venda dos exemplares daquele periódico ?! Um reconhecimento ?! Enfim, eu não tenho uma posição sobre isso até porque acredito sim que deva haver um jornalismo investigativo; mas até que ponto ele é válido no Brasil ?!

O segundo ponto é a censura : Os moradores dessas localidades são podados de diversas formas. Seja pela polícia, milícia ou tráfico; os moradores das comunidades carentes do Rio de Janeiro não possuem em suas localidades os chamados serviços públicos (saneamento, água, esgoto, saúde, escola, transporte, entre outros). Além disso são tolidos pelas forças citadas anteriormente que, de forma arbitrária e autoritária retira toda e qualquer liberdade desse povo. E na constituição, há um artigo dizendo que todos temos o direito de ir e vir.

Para concluir, quero falar sobre a tortura sofrida pelos funcionários desse jornal, que foram torturados e ameaçados. Tal qual os tempos áureos da Ditadura, pudemos ler (quem ainda não leu, pode ir ao site do jornal, e ler a matéria) pelo qual passaram todos esses que tentam, mesmo de uma forma obscura, melhorar a sociedade. O que me choca aqui, na verdade é que o torturador é quem deveria dar a proteção e se quem me protege também é quem me agride, em quem posso confiar ?!

quarta-feira, 21 de maio de 2008

Mesmo peso, duas medidas...

Apesar dos acontecimentos serem passados, minha reflexão só foi estartada após ver a campanha veiculada pelo governo federal, nos pontos de ônibus do Rio de Janeiro. A campanha defende o "Parto Normal - deixe a vida acontecer naturalmente"
Meu questionamento começou a tentar entender a campanha. Um mesmo governo que defende o Parto Normal, também defende o aborto ?! Eu achei isso muito estranho. Depois percebi que, infelizmente, se tratam de vertentes diferentes (apesar de eu achar que não).
Entretanto o que mais me intrigou não foi isso. Na verdade, o meu questionamento continuou e chegou a seguinte questão: Como pode o poder público defender tanto questões de planejamento familiar (que na verdade eu considero de saúde) e não discutir a legalização das drogas (proibindo inclusive de se manifestar sobre o assunto).
Não venho aqui para defender, nesse momento essa ou aquela questão. Minha preocupação é quanto ao que é importante para a sociedade. Acredito que debater os três temas (e principalmente os dois mais polemicos) sejam de suma importância para a sociedade, mas não consigo compreender como o poder público, proibindo as pessoas de exercerem seus direitos, avançar nas mais diversas questões.
Mais do que os crimes que possam ser cometidos (já que o aborto não é legalizado e a comercialização de drogas também não) o que me preocupa, nesse momento é a censura exercida, que não vou relacionar a um novo período de trevas, mas que me faz lembrar que ainda temos muito que avançar nessa nossa recente democracia.

domingo, 11 de maio de 2008

Que dia é hoje ???

Gente ...

Queria iniciar meu texto de hoje refazendo a pergunta acima: Que dia é hoje ?

Talvez muitos que leiam meu texto diram: "Hoje é dia das mães !!!"
Eu discordo. Esse dia que foi criado por esse sistema capitalista e marketeiro, para aumentar as suas vendas, é uma grande discriminação para com nossas mamães ....
Aquela que nos amamenta, que nos cuida, que nos acalenta, que nos cria, que nos ensina, que nos atura, que nos sustenta (e isso inclui os nove meses na barriga) entre outras coisas; não deveria ter um dia unico e exclusivo, mas sim todos os dias ...
Mas como não lembramos de nossas mães, na correria do dia a dia vemo-as muitas das vezes como empregada, funcionária, faxineira entre outras coisas, não nos damos contas que o dia de hoje deveria ser todo dia. Amor, cuidado, carinho, afeto, atenção são algumas das coisas que devemos estar sempre dando e pedindo desculpas caso não o façamos ...

Mas hoje é dia das mães e como tal, muitos levam suas mães pra um programa. Outro sofrimento. Ideal seria nós, filhos e filhas entrarmos em nossas cozinhas e prepararmos o almoço. Mas o que mais vi hoje foram mães que já sofrem todos os dias nas copas e cozinhas de nosso Brasil, sofrerem mais uma vez em filas intermináveis para comemorar seu dia (que dia eiinh !!) com um programa em família. Essas mesmas filas que, compostas por senhoras gentis e bonitas, me lembraram as filas que a tempos já temos aqui no INSS.

O que mais me doi nisso tudo não é a comemoração de hoje. Na verdade fico até feliz por todos estarem comemorando com suas mães seus dias. A tristeza se dá porque amanhã, nesse mundo de rotina e rapidez, amanhã será outro dia, em que ninguém mais se lembrará do dia da mãe ...

E que nós, marketeiros criemos outros dias para alavancar nossas vendas, encher nossos estabelecimentos e abrir na sofrível realidade, momentos de alegria.

EU AMO A MINHA MÃE E QUERO PUBLICAMENTE PEDIR DESCULPAS A ELA POR TUDO O QUE A FIZ DURANTE TODOS ESSES ANOS DE MINHA EXISTÊNCIA.

E QUE DEUS PERMITA TÊ-LA AO MEU LADO POR MUITOS E MUITOS ANOS ....

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Da relação quente pela tela fria a relação fria dos quentes corpos ...

Bom ...

Primeiro queria pedir desculpas, mas aqui no Rio está sendo um feriadão (que começou na sexta e está terminando hoje - e aí é complicado postar com outras coisas para fazer ...)
A segunda coisa é que infelizmente não sabia sobre o que escrever, não sabia até agora ...

A algum tempo atrás partilhei com minha amiga Camilinha sobre como as relações sociais estão mudando. Estamos num tempo em que não mais vejo crianças na rua, subindo em árvores e/ou se machucando. Pensei que no início eram culpas dos pais, mas percebi que não ...
As crianças sumiram do meu condomínio. As festas também. Antigamente fazíamos as chamadas festas americanas (nunca soube o porque desse nome) mas eram festas em que cada um levava uma coisa para comer/ beber para a festa e aí
tod@s partilhavamos tudo e dançavamos ao som de toca-fitas.
Hoje, feriado, não vejo nem uma criança brincando, muito menos subindo em árvore para pegar alguma fruta, ou simplesmente se esconder para alguma brincadeira...

No meu tempo, era difícil nos ver parados em casa, o tempo todo queríamos ficar na rua. Hoje, sou o contrário, se saio, logo quero voltar e por que ?! Porque uma considerável parcela dos meus amigos se encontram aqui (ou melhor, eu os encontro somente por aqui - já que são de estados distantes)

Isso me levou repensar o que ouvi na volta da viagem de Teresina para Fortaleza. Não me lembro quem disse, mas durante uma conversa no ônibus, alguém disse: "Ah ! eu fico fula quando alguém pede meu MSN lá é meu super amigo, mas quando estamos um do lado do outro, finge que nem me conheçe". É isso. A Pós-Modernidade pode não ser a grande vilã de tudo o que vem acontecendo, mas explica:
- Eu preciso separar essas pessoas. Essa infectação do planeta tem feito mal a minha amiga Terra. Esses caras estão acabando com a mata, os solos e os ares e daqui a pouco também com os mares. E já que eles acham que isso tudo é deles, vou ajuda-los a se destruírem. Para depois ficarmos só nós, eu, a Terra e mais alguns atores distantes que no momento estão sendo perseguidos...

E é isso que ocorre. As pessoas vão sendo criadas com visões individualistas.Olham só para o seu, pensam só no seu, querem só o seu. E com isso, as relações vão mudando de lugar, de papel. As brincadeiras antes realizadas nas ruas, nos quintais; hoje são feitas na internet, na lan. As relações quentes que existiam antigamente foram trocadas pelas telas frias do computador, que nos prende com a carga de coisas que podemos realizar através dele. Só fico assustado, pois somos geralmente estranhos para nossos vizinhos e muito amigos de pessoas do outro lado do planeta.

domingo, 13 de abril de 2008

Caiu a barba ...

Bom ...
Respondendo a inquietação da maioria, venho explicar a barba ....

Seu início foi pensado. Sua intenção era religiosa. Ela teria um início, um meio e um final.
Felizmente, ou infelizmente, ela não teve um final, não até hoje ....

E porque decidi tirar ...

Ela já tinha feito mais que sua obrigação. Levantou inquietações, intrigou a muitos, fez com que pudesse perceber que as pessoas estão tão acostumadas com os padrões impostos pela sociedade (beleza, estética, entre outros) que quando você faz algo que foge dos padrões, as pessoas logo querem te zuar e fazer associações a coisas e pessoas que as vezes você nem conheçe ...
Nesses mais de dois meses (sim, deixei-a crescer desde a quarta feira de cinzas) ouvi muitas asneiras e muita zuação também.

Hoje, depois de feita minha análise, posso dizer que os padrões estéticos que a sociedade impõe através da mídia, são tão fortes, e inconsequentes que levam as pessoas a reprimir tudo aquilo o que não os agradam. E se não os agradam, porque conviver com isso ..

Agora entendo as agressões dos Pit-Boys do Rio a mulheres de prazer (ou simplesmente trabalhadoras esperando ônibus), a homosexuais, travestis, gays, e outras pessoas que não tenham o mesmo gosto que eles, ao magros, ao simples, ao inteligentes entre outros. E isso me leva a pensar onde o mundo iria terminar se começassemos a exterminar a quem está fora de nossos padrões. ...

segunda-feira, 7 de abril de 2008

Lixo do Luxo ou Luxo do Lixo

Gente
Nessa última semana fui impactado por diversos acontecimentos. Mas isso não modificou o assunto ao qual queria me reter essa semana. O que mudou foi o meu ponto de vista.

Ao voltar para casa estava observando que todo o luxo depende do que a sociedade chama de "lixo". Digo isso por pura e simplesmente reparar algumas coisas do tipo:
- As praias são residencias de grã-finos, pois quem é pobre ou classe média, não tem como morar de frente para o mar. Entretanto a sociedade chama de lixo as profissionais do prazer, que existem desde a antiguidade;
- Essas mesmas moradias tem como profissionais (faxineiros,serventes, porteiros) moradores oriundos da baixada, a mesma que foi proibida de ter licitadas linhas diretas de ônibus para a Barra da Tijuca (moradia de grã-finos no Rio de Janeiro);
- A campanha contra a dengue só tomou corpo no Rio porque começou a chegar aos bairros nobres da Zona Sul e na Barra da Tijuca;

É notória a discriminação daqueles que se dizem sociedade por uma outra classe que é dominada, trabalhadora e muitas das vezes é explorada somente para a manutenção da riqueza de pouco. O fato de serem profissionais do prazer, faxineiros, motoristas e outros em nada diminuem essas pessoas e portanto essas merecem o mesmo tratamento e educação dispensada aos demais.

Não quero me alongar demais no texto e nem chegar a uma conclusão sozinho, mas para ter certeza que o luxo vem do que a "sociedade" chama de "lixo", uso como exemplo a lixeira do Reitor. Alguém tem coisa melhor ?!

domingo, 30 de março de 2008

Durante uma conversa ...

Sabe ...
Quando menos esperamos é que surgem palavras lindas de nosso coração. E é tão magico poder falar isso para alguém.
Agora fico feliz de poder partilhar com
tod@s ....


"As vezes nossas ações nos entregam ...
nossas falas e olhares dizem o que nossa boca não quer falar ..
por mais que a cabeça diga não, o coração diz sim ..
e pede, e clama, e chama ...
espera e torçe e reza ..
chora e se alegra ...
Aceite ..
viva, curta ..
não tenha medo de sofrer ..
nem de chorar ...
se é valido o amor ..."

Tayago

sábado, 29 de março de 2008

Primeira Vez ....

Gente ...
Estou muito feliz por ter contado com a ajuda de amigos para estar aqui postando pela primeira vez ...
São poucos os que sabem da dificuldade que foi para conseguir colocar esse blog no ar (e aqui agradeço a Camilinha pela paciência e compreensão, e a todos que, de alguma forma colaboraram com isso)

Falando sobre o blog:
Minha idéia aqui é falar sobre coisas ... qualquer coisa .... as coisas que cotidianamente me chamarem a atenção.

Então, não venham achando que todos os textos serão maravilhosos, pois mais que isso, o que pretendo com eles é levantar reflexões ...

Sintam-se todos beijados pelos textos que virão ....