terça-feira, 31 de janeiro de 2012

POESIA - Idas e Vindas

E assim me sinto vivo
É a chuva no rosto
A cerveja gelada
Futebol com a rapaziada

E assim me sinto vivo
O grito de gol
O mergulho no mar
Sair para dançar
Me enamorar

E assim me sinto vivo
É a dor do amor
O beijo quente
Saudade latente
Desejo no ar

E assim me sinto vivo
Com idas e vindas
Meu coração ainda palpita
Minha mente precipita
O que não quero acreditar

2 comentários:

Nanda disse...

Muito linda! Retrata a mais pura verdade do que é está vivo!

Suzane disse...

Também me sinto viva... Gargalhadas na esquina, no ônibus risadas roucas, após apreciar uma amizade sincera nascendo, segundo a vontade do criador... Presente de estar vivo é a presença dos que amamos!