Pular para o conteúdo principal

Lixo do Luxo ou Luxo do Lixo

Gente
Nessa última semana fui impactado por diversos acontecimentos. Mas isso não modificou o assunto ao qual queria me reter essa semana. O que mudou foi o meu ponto de vista.

Ao voltar para casa estava observando que todo o luxo depende do que a sociedade chama de "lixo". Digo isso por pura e simplesmente reparar algumas coisas do tipo:
- As praias são residencias de grã-finos, pois quem é pobre ou classe média, não tem como morar de frente para o mar. Entretanto a sociedade chama de lixo as profissionais do prazer, que existem desde a antiguidade;
- Essas mesmas moradias tem como profissionais (faxineiros,serventes, porteiros) moradores oriundos da baixada, a mesma que foi proibida de ter licitadas linhas diretas de ônibus para a Barra da Tijuca (moradia de grã-finos no Rio de Janeiro);
- A campanha contra a dengue só tomou corpo no Rio porque começou a chegar aos bairros nobres da Zona Sul e na Barra da Tijuca;

É notória a discriminação daqueles que se dizem sociedade por uma outra classe que é dominada, trabalhadora e muitas das vezes é explorada somente para a manutenção da riqueza de pouco. O fato de serem profissionais do prazer, faxineiros, motoristas e outros em nada diminuem essas pessoas e portanto essas merecem o mesmo tratamento e educação dispensada aos demais.

Não quero me alongar demais no texto e nem chegar a uma conclusão sozinho, mas para ter certeza que o luxo vem do que a "sociedade" chama de "lixo", uso como exemplo a lixeira do Reitor. Alguém tem coisa melhor ?!

Comentários

dane_ly disse…
sem o que vc diz que "eles" consideram lixo, nenhum "deles" teria qualquer luxo...rs

Xêru!
camila chaves disse…
muito bacana esta relação entre lixo e luxo. só de pensar na quantidade de gente que vive do lixo de poucos luxuosos... sociedade... desigualdade... gostei da sacada sobre a questão de saúde da dengue... como assisto pouca televisão, estava tentando entender o que na verdade teria feito essa crise toda virar um "boom" assim, tão de repente. encontrei a resposta para isso no teu texto. boa, tayago.
Juliana disse…
Não sei o que tem na lixeira do seu reitor e mesmo não entendendo muito os exemplos que vc citou no início do texto, vc sabe qual a minha posição em relação a esse assunto. Sendo bem direta e talvez até radical, acredito com toda convicção que um não exista sem o outro. Em uma sociedade capitalista nuca irá haver ricos se não houver os miseráveis e desafortunado. E duvido que alguém tenha argumentos para contestar essa referência. Um bjão amigo!

Postagens mais visitadas deste blog

POESIA - Como o clima

Olhe pela janelaVeja o tempo lá fora Viu ? É assim que está meu coração
Olhe o que cai do céu É água ? Lágrimas Geradas pela dor e desilusão
O cinza ? Solidão e dureza As mentiras que me contava Ofuscava o brilho do sol
Porém, De tudo tenho uma certeza a água lava as nuvens passam e meu céu voltará a brilhar
Cuide bem de ti que cuidarei bem do meu jardim.

POESIA - Mulher na Luta

Ela lavava a alma e trazia a calma,
necessária para viver;
ela lavava o corpo e trazia no rosto,
as marcas do que é ser;
era uma lutadora, sonhadora que,
nunca deixou de viver;
era doce e meiga, brava e possessa
não havia injustiça em seu ser.

Cidade ou campo, deserto ou floresta,
ela sabia se virar.
Claro ou escuro, dia ou noite,
e do açoite ela fugiu.
Era escrava branca e sinhá preta,
a inversão que nunca existiu

Mas meu peito chorou e partiu
quando sua boca se abriu,
e me disse que ia para a luta
me deixando um beijo e um 
eterno adeus.

POESIA - Eu senti

Eu senti
senti o baque, o choque, o golpe, 
a mão pesada, o não, o gole,
a dor, o desamor.

Eu senti,
tive paciência, 
mesmo na ausência,
e por obediência, 
esperei e não resisti.

Eu senti,
fome, frio, dor.
Abandono, desamor.
Eu senti.

Mas é preciso reerguer, 
olhar pra frente e viver
caminhar e não esquecer,
para novamente não sofrer.

Eu senti,
uma mão a me levantar,
e esperança renovar,
poder novamente voar.

Eu senti.
Senti que era hora. 
Ontem hoje, senão agora.
Não dá para esperar. 
Algo que já não demora

Eu senti.
E parti.