quarta-feira, 21 de maio de 2008

Mesmo peso, duas medidas...

Apesar dos acontecimentos serem passados, minha reflexão só foi estartada após ver a campanha veiculada pelo governo federal, nos pontos de ônibus do Rio de Janeiro. A campanha defende o "Parto Normal - deixe a vida acontecer naturalmente"
Meu questionamento começou a tentar entender a campanha. Um mesmo governo que defende o Parto Normal, também defende o aborto ?! Eu achei isso muito estranho. Depois percebi que, infelizmente, se tratam de vertentes diferentes (apesar de eu achar que não).
Entretanto o que mais me intrigou não foi isso. Na verdade, o meu questionamento continuou e chegou a seguinte questão: Como pode o poder público defender tanto questões de planejamento familiar (que na verdade eu considero de saúde) e não discutir a legalização das drogas (proibindo inclusive de se manifestar sobre o assunto).
Não venho aqui para defender, nesse momento essa ou aquela questão. Minha preocupação é quanto ao que é importante para a sociedade. Acredito que debater os três temas (e principalmente os dois mais polemicos) sejam de suma importância para a sociedade, mas não consigo compreender como o poder público, proibindo as pessoas de exercerem seus direitos, avançar nas mais diversas questões.
Mais do que os crimes que possam ser cometidos (já que o aborto não é legalizado e a comercialização de drogas também não) o que me preocupa, nesse momento é a censura exercida, que não vou relacionar a um novo período de trevas, mas que me faz lembrar que ainda temos muito que avançar nessa nossa recente democracia.

Um comentário:

dane_ly disse...

é verdade...
e isso me deixa intrigada...
Xêruu!