terça-feira, 9 de novembro de 2010

POESIA - Do alto e do chão

Do alto
vejo casas,
vejo grandes lagos e
árvores com muito verde.

Do chão
vejo que as casas são de papelão
os lagos são poças de esgoto
e o verde é lixo, fede.

Do alto
o céu é azul,
o dia é feliz
e na noite as estrelas brilham.

Do chão
o céu se turva com a fome
o sorriso se esconde na necessidade
e na noite a estrelas são companheiras de sono.

Do alto
olhava em todas as minhas viagens de avião,
desejando chegar,
desejando pousar,
desejando pisar naquela terra, naquele chão,
desejando conhecer o povo desse mundão.

Do chão
olhava para o céu
buscando entender
como a fé, do alto
não olhava pra você
não olhava para mim
não olhava o sofrimento, a situação
pobre do povo, pobre da nação.

Do alto
das cadeiras de câmaras federais e estaduais
tem pouca gente, com salário de mais
que não consegue fazer leis e nem dar paz

Do chão
tem povo guerreiro, lutador
que não cansa de dizer
Sim senhora, Sim senhor
e fazer isso para ter
um pouco de paz e amor.

Um comentário:

Danile disse...

Perfeita! Existe apenas um mundo, mas que pode ser visto de duas formas diferentes. E algumas pessoas passam e vida inteira sem saber disso.