segunda-feira, 13 de junho de 2011

POESIA - Ela samba

Ela samba,
e samba diferente,
brinca com o coração da gente,
no bumbum baticumdun.

Ela samba,
e mexe o quadril,
faz o riso infantil,
surgir no lábio molhado.

Ela samba,
faz passo de bamba,
iradia a batucada,
que a bateria faz na balada.

Ela samba,
foco total do holofote,
olhares vindo do Sul e do Norte,
mas só eu tenho essa sorte.

Ela samba,
e depois de uma noite cansada,
divertida e suada,
ela vem para os meus braços,
frustrando a todos da balada,
alegre e ofegante,
diz querer ir pra casa,
porque não quer nada além de meus carinhos,
depois dessa noitada.

Um comentário:

Camila disse...

Achei muito pessoal essa... Peguei pra mim! rsrsrs