Pular para o conteúdo principal

Onde guardamos o amor ?

Durante todos os anos da minha vida, sempre gostei de caminhar.

Gostava da idéia da liberdade. De poder parar quando visse algo que me prendesse a atenção e que me fizesse pensar. De olhar as coisas e seus devidos detalhes e com isso perceber de que forma eram feitas ou como eram elaboradas as coisas.

Em toda a minha vida eu andei demais. Mas andar não é a questão.

Um problema de saúde, vivido em uma família amiga, me fez pensar. Onde guardamos o amor ?

E não falo aqui do amor / sexo tão divulgado ultimamente pela mídia e sociedade. Falo do amor / sentimento. Aquele gostar sabe .... aquele querer bem ...

E continuei a minha caminhada estrada acima e a chuva caiu .... Bendita chuva, bem na hora que eu pensava no amor ... E pronto ... chuva dos meus olhos ... E sabe porque ?!

Porque chuva para mim é benção, é Deus mostrando algo. E nessa hora, nesse momento, o mostrar algo era que eu tenho uma família maravilhosa, que apesar dos problemas vive e resolve os mesmos juntos e que a cada dia Deus fortalece essa mesma família.

O amor que nos une é maior que tudo e por isso foi chorei, e logo depois sorri e vi que eu não guardo o meu amor. Distribuo para quem quiser, sem medo que ele não volte.

E você ? Onde guarda o seu amor ?!

Comentários

daniel.gonca disse…
só deus sabe !!!!!!!!
Fabiola Paschoal disse…
Achei tão bonito isso... saudade de escrever textos desse tipo, como eu fazia no blog antigo, mas acho que não sei mais. :P

Postagens mais visitadas deste blog

POESIA - Como o clima

Olhe pela janelaVeja o tempo lá fora Viu ? É assim que está meu coração
Olhe o que cai do céu É água ? Lágrimas Geradas pela dor e desilusão
O cinza ? Solidão e dureza As mentiras que me contava Ofuscava o brilho do sol
Porém, De tudo tenho uma certeza a água lava as nuvens passam e meu céu voltará a brilhar
Cuide bem de ti que cuidarei bem do meu jardim.

POESIA - Mulher na Luta

Ela lavava a alma e trazia a calma,
necessária para viver;
ela lavava o corpo e trazia no rosto,
as marcas do que é ser;
era uma lutadora, sonhadora que,
nunca deixou de viver;
era doce e meiga, brava e possessa
não havia injustiça em seu ser.

Cidade ou campo, deserto ou floresta,
ela sabia se virar.
Claro ou escuro, dia ou noite,
e do açoite ela fugiu.
Era escrava branca e sinhá preta,
a inversão que nunca existiu

Mas meu peito chorou e partiu
quando sua boca se abriu,
e me disse que ia para a luta
me deixando um beijo e um 
eterno adeus.

POESIA - Voa Tempo

Esquecer o passado,
Escrever o futuro,
Sem ficar no muro 
E nem desesperar.

Guardar na memória,
Diversas histórias,
Momentos marcantes
Sem se deixar levar.

Seguir adiante,
com esse tempo galopante,
pois se ficar parado,
ultrapassado será

Tempo ligeiro, 
tudo muda o tempo inteiro
passageiro viajante,
ou ser realizante
só de ti dependerá.