segunda-feira, 24 de junho de 2013

POESIA - Ao deitar

Ao deitar,
fecho os olhos, 
mas não consigo dormir
muito menos sonhar.

Ao deitar,
fecho a alma,
mas não consigo relaxar,
nem levitar,
me sinto preso,
fixado ao chão.

Ao deitar,
não consigo sonhar,
nem repousar,
muito menos achar.

Sou só,
em meio a uma multidão
sou simples,
em meio a uma legião.

Sou uno,
em meio a um milhão
mas me sinto só,
mesmo na multidão.

Nenhum comentário: