domingo, 25 de dezembro de 2011

POESIA - Fantasiando o nada

Fantasiei em momentos desnecessários
Delirei em amores imaginários
E, com medo do que guardava em meu armário,
Surtei.

Falei sozinho desejando carinho
Sai pulando mais que sapo
beijando mais que soluço
mas, não encontrava "a ursa"
aquele colo em que iria repousar.

Não joguei com cartas marcadas
até porque não sabia quais eram certas
quais eram erradas
mas apegado a verdade
desejava em primeiro a felicidade
da outra que estava a minha frente.

E esgotando as formas para explicar,
resolvi soletrar, desenhar, sinalizar
que estava ali - na frente
não era tão exigente
e só queria fazer feliz
seu coração.

2 comentários:

carlos disse...

ficou muito boa

Aline disse...

essa é minha preferida até agora! =)