quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Era sexta, mas podia ser todo dia

Tem coisas que vejo. E todo dia dia se repete, eu juro que fico tentando entender, mas não consigo. E hoje, depois de alguns meses assistindo a tudo isso, resolvi falar .....

Quando era pequeno, a minha mãe me deu uma coisa que me orgulho muito - ela se chama educação. Sim, foi a base de alguns beliscões, algumas olhadas sérias, alguns castigos; mas eu aprendi. E posso garantir que aprendi muitas coisas das quais eu ainda faço hoje em dia e que me fazem diferentes de algumas pessoas dessa nossa sociedade.

Abrir a porta para as pessoas, ceder o lugar para os mais velhos, ceder a vez na fila aos mais velhos, auxiliar os idosos e portadores de necessidades e muito mais coisas. São poucas coisas, singelas, mas que fizeram uma diferença - pelo menos para mim e no meu amadurecimento.

Era sexta - feira e como em todas as sextas, acordei cedo e peguei meu ônibus para ir ao curso de Inglês. Pela primeira vez nesse ano me sentei no fundo do ônibus por não ter lugar mais a frente. E com isso, pude reparar o que ocorre quase todos os dias. As pessoas, fingindo que estão dormindo ou na cara de pau mesmo, não cedem o lugar (nem o reservado) para as pessoas idosas, gestantes e outros que necessitem.

Claro que não posso fazer disso uma regra, pois, sempre tem alguém que faz com que nossa língua queime ao falar dessas coisas. Mas isso me fez pensar: - Será que os pais de hoje em dia pensam que a educação é aquela coisa que aprendemos na escola e nada mais ?! E os bons modos, os bons costumes, a vida em sociedade e amor ao próximo ?!

Nenhum comentário: