domingo, 8 de março de 2009

301 Picaretas ?!

O ano ?! Não lembro ... O dia ?! Menos ainda ... A atividade, essa sim, não poderia esquecer ...

Tinha um grande amigo (que Deus o tenha) e ele tinha começado a tocar violão por hobby. Entretanto, como ele estava doente, a onda era ir para a casa dele e ficar tocando violão até .....
Lembro-me de que existiam várias músicas de que gostávamos ... Eu, como não sabia tocar, ficava exercitando minhas cordas vocais para quem sabe um dia seguir carreira (hoje vejo que eu era um desastre).
O Rappa, Cidade Negra, Paralamas, Engenheiros, Roupa Nova e outras bandas eram parte de nosso repertório.
Mas, não sei por que, existia uma desavença sempre que iniciávamos nosso repertório. Enquanto eu gostava de Paralamas e lutava para ouvir as (naquela época) músicas do novo CD, eles insistiam em tocar Hey Joe. Eu brigava, pedia, mas como não sabia tocar, ficava a merce deles.
Aí, um dia, ao invés de tocar, todos paramos para ouvir o novo CD dos Paralamas. Dentre os bonus, tinha uma que falava:" Luis Inácio falou, Luis Inácio avisou. São 300 picaretas com anel de doutor." e continuava ...

Naquele tempo, Lula era a personificação da esquerda. Sindicalista, militante, PT, e tudo o mais que a parcela sofrida da sociedade esperava como chance de transformação. Era o sonho de uma parcela da sociedade se materializando. E enquanto "Brasilia vivia a sua própria lei" ele ia trilhando um caminho de contestação no qual cada vez mais o povo te apoiava. Foi surpreendente o movimento pró-Lula nas eleições duas eleições em que ele disputou e perdeu. Desde o povo pobre e sofrido, até grandes nomes de nosso meio cultural estavam do lado desse que representava os ideais.

Então, depois de 3 eleições. O sonho enfim se realizou. Lula chegou ao poder. E o sonho do povo poderia então ser realizado. Poderia ... alguns dizem que sim, outros dizem que não. Foram feitas diversas alianças com diversos partidos, montando o que ele chama de base aliada para conseguir conversar. Enquanto isso vemos outras formas de governos contestadoras pela América do Sul - paises que estão realmente fazendo uma transformação em seu modo de governar. Infelizmente, não tenho o poder de julgar quem está certo e quem está errado. Ou que caminho deveríamos ter seguido e não seguimos.

O que sei, é que olhando o cenário atual de nosso país, analisando tudo o que está acontecendo em nossa sociedade e ainda mais depois das eleições para presidente da Câmara e do Senado, tenho certeza que de onde estiver, meu amigo - e porque não muitos outros - estarão cantando: "Parabéns, coronéis, vocês venceram outra vez
O congresso continua a serviço de vocês
Papai, quando eu crescer, eu quero ser anão
Pra roubar, renunciar, voltar na próxima eleição"

Nenhum comentário: