Pular para o conteúdo principal

POESIA - Torneira aberta.

As lágrimas desciam, eu não conseguia parar,
todos me olhavam, eu não tinha onde me esconder,
lenço, papel, abraços, carinhos, 
nada fazia eu parar de chorar,
ou as lágrimas pararem de descer.

As lágrimas inundavam a gola, 

a blusa já estava encharcada,
os olhos vermelhos e irritados,
a mão suava.
Eu queria conseguir enxergar, 

mas parecia que estava chovendo, 
pois o choro era inevitável,
no momento mais sublime, sereno.

As lágrimas reduziram,
acho que tinha minado a água,
o corpo reagiu, e conseguiu estabelecer um pouco de calma,
a alma, respirava
o coração, forte batia,
mas não saia uma palavra, 
da boca muda, que não mexia.

Os olhos então secaram,
e aí eu pude ver, 
a coisa mais bela, mais linda,
ao meu lado florescer
ela, vestida de branco
nós, juntos no altar
a benção
as alianças
e a torneira voltou a chorar,
a alegria, em forma de lágrimas,
o amor, de mão unidas as minhas, 
a beleza, de uma vida juntos,
a certeza, que serás só minha.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POESIA - Como o clima

Olhe pela janelaVeja o tempo lá fora Viu ? É assim que está meu coração
Olhe o que cai do céu É água ? Lágrimas Geradas pela dor e desilusão
O cinza ? Solidão e dureza As mentiras que me contava Ofuscava o brilho do sol
Porém, De tudo tenho uma certeza a água lava as nuvens passam e meu céu voltará a brilhar
Cuide bem de ti que cuidarei bem do meu jardim.

POESIA - Mulher na Luta

Ela lavava a alma e trazia a calma,
necessária para viver;
ela lavava o corpo e trazia no rosto,
as marcas do que é ser;
era uma lutadora, sonhadora que,
nunca deixou de viver;
era doce e meiga, brava e possessa
não havia injustiça em seu ser.

Cidade ou campo, deserto ou floresta,
ela sabia se virar.
Claro ou escuro, dia ou noite,
e do açoite ela fugiu.
Era escrava branca e sinhá preta,
a inversão que nunca existiu

Mas meu peito chorou e partiu
quando sua boca se abriu,
e me disse que ia para a luta
me deixando um beijo e um 
eterno adeus.

POESIA - Caminhar

Caminhar
Nada mais é do que seguir,
as vezes se sabe para onde vai,
e as vezes não se imagina onde quer chegar.


Caminhar
seja a passos largos ou curtos,
dados para a frente, para o lado ou para trás,
é o que nos faz mais.


Caminhar
na confiança e com dedicação
as vezes torto, as vezes com exatidão
sempre buscando a retidão.


Caminhar
para seguir em frente
é preciso caminhar
e confiar que dias melhores virão.